jovem sorrindo mexendo no notebook

Entre os motivos de pedidos de empréstimo na Lendico, a educação vem ganhando destaque nos últimos meses. Segundo um levantamento feito pela empresa, houve um aumento de 16% no percentual de pessoas procuram um “empréstimo estudantil“, ou seja, um empréstimo para bancar educação, em maio de 2018 em relação ao mesmo período em 2017.

Opções de empréstimo estudantil

Existem diversas opções de empréstimo estudantil disponíveis no mercado, mas nem todo estudante se enquadra em alguns dos requisitos solicitados. Além disso, para quem apenas deseja fazer um curso de atualização ou uma extensão, por exemplo, conseguir este tipo de crédito para bancar os estudos pode ficar mais difícil.

Listamos abaixo algumas das principais opções para quem busca empréstimo para educação. Veja qual a melhor para você:

FIES

O FIES (Programa de Financiamento Estudantil) é um programa de crédito para estudantes que foi desenvolvido pelo Ministério da Educação. Ele é destinado para o financiamento de cursos de ensino superior de estudantes que estejam matriculados em universidades não gratuitas.

Para recorrer ao empréstimo estudantil do FIES, ossite estudantes deverão estar matriculados em cursos superiores que possuam avaliação positiva nos processos que são conduzidos pelo Ministério da Educação, e que seguirem o passo a passo de solicitação do crédito.

O financiamento estudantil desta forma funciona em três fases (para contratos feitos a partir do 2º semestre de 2015):

Fase de utilização: período em que o estudante está cursando o ensino superior e paga a cada três meses um valor máximo de R$ 150 referente ao pagamento de juros incidentes sobre o crédito tomado.

Fase de carência: após concluir seu curso superior, o estudante tem até 18 meses de carência para poder recompor seu orçamento e começar a pagar o financiamento. Durante este período ele pagará a cada três meses o valor máximo de R$ 150, assim como na fase de utilização, referentes aos juros.

Fase de amortização: assim que acaba o período de carência, o estudante deverá pagar o saldo devedor referente ao financiamento do seu curso. O valor pode ser parcelado em até três vezes o período financiado da duração do curso. Ou seja, quem fez um curso de 4 anos tem até 12 anos para pagá-lo.

Financiamento estudantil privado

Quem não conseguiu entrar no FIES pode optar por alternativas de financiamento estudantil privado. Em geral elas são oferecidas por instituições bancárias e até mesmo por universidades. Se você tem uma conta em banco, pode tentar verificar se oferecem este tipo de crédito. Também é possível procurar instituições de ensino que ofereçam.

Empréstimo pessoal para educação

Quem pretende apenas fazer um curso de atualização, por exemplo, não consegue uma alternativa de empréstimo estudantil como o FIES ou um financiamento privado deste tipo. Nestas situações uma opção pode ser recorrer ao empréstimo pessoal.

As taxas de juros do crédito pessoal são mais baixas que outras opções de crédito no mercado, como cheque especial e rotativo do cartão, e você ainda pode tentar um desconto com a escola ao pagar o curso à vista.

SOLICITAR MEU EMPRÉSTIMO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.